Servidores de Mongaguá apresentam propostas na Pré-Conferência Municipal de Saúde

Cumprindo agenda programada, a Pré-Conferência Municipal de Saúde de Mongaguá realizou mais uma etapa que antecede a Conferência Municipal, na manhã desta segunda-feira (19), na unidade SISPUMI. Na ocasião a organizadora do evento e presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Kelly de Lira Capatto recebeu o relatório com os apontamentos feitos pela categoria que podem contribuir para o aprimoramento da prestação do serviço público de saúde.

Entre os apontamentos foram propostos, maior amparo na segurança e integridade dos trabalhadores, com implemento de combate a violência contra os profissionais da Saúde. Ainda em 2017, o SISPUMI divulgou estudo feito por conselhos de profissionais da Saúde mostrando o alto índice de agressões verbais e físicas sofridas por estes trabalhadores. No contexto da pandemia as agressões persistiram ou foram intensificadas, com violência de aspecto moral, psicológico e, por vezes, físico. Outra proposta reportada pelos trabalhadores diz respeito ao acesso as unidades de saúde localizadas distantes das vias principais, onde o transporte público serve somente uma via, ou seja, ocasionando dificuldade de acesso na ida ou retorno dos usuários e dos servidores.

A categoria também reportou insuficiência no número do efetivo para o bom atendimento do serviço público, principalmente nas categorias setorizadas dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS); Agentes de Combate de Endemias (ACE) e recepcionistas. O número insuficiente de funcionários acaba por gerar problemas como desvio de função e precariedade no atendimento aos usuários. Aliado a isto, algumas unidades também não contam com informatização do sistema ou apresentam ausência ou deficiência de computadores, repercutindo em precariedade no atendimento aos usuários, tais como demasiado tempo para o agendamento de exames, sobretudo as demandas de especialidades. Ainda, sobre o sistema de informática, a maioria dos servidores, afirmam não ter qualificação plena para utilizar os aplicativos. O sindicato detectou que na verdade ocorre apenas uma apresentação do aplicativo aos servidores, não constituindo uma qualificação adequada aos trabalhadores.

No âmbito da saúde mental o tema apresentou maior complexidade, uma vez que o serviço é caracterizado juntamente com a pasta da Assistência Social. Entre algumas das propostas reportadas pelos servidores está a revisão de protocolos e melhorias na comunicação com os servidores públicos que atuam entre os setores envolvidos para aperfeiçoar o vínculo e acolhimento; encaminhamento e terapia dos usuários.

A categoria também reportou temas já existentes na Pauta de Reivindicação anual dos servidores públicos; algumas do rol de âmbito geral e do âmbito específico da Saúde, tal como alimentação, que além de atingir todos os servidores da administração pública, implica de maneira mais severa aos servidores que exercem jornadas de 24 X 72 horas, a exemplo dos profissionais do SAMU, UPA e Hospital. No SAMU o sindicato constatou que os profissionais tem a obrigatoriedade de bater o ponto do almoço, mas não há previsão de outra alimentação, como jantar durante o período de 24 horas.

Ainda por iniciativa proposta pelo SISPUMI, o sindicato reportou a possibilidade do desenvolvimento do Programa de Saúde Laboral para atendimento aos trabalhadores, visando a prevenção de doença laboral e evitar o consequente afastamento dos trabalhadores de seus postos de trabalho. A atenção a saúde dos trabalhadores, além de evitar transtornos trabalhistas é fundamental para o bom atendimento na prestação do serviço de saúde pública.

Após apresentação das propostas, a presidente do CMS, Kelly Capatto, acolheu os nomes de Aparecido Borges dos Santos e Cristiane R. A. Nogueira Canal para integrarem como delegados para representar o sindicato dos servidores públicos de Mongaguá na Conferência Municipal de Saúde, que acontecerá no próximo dia 28, a partir das 9 horas. O evento vai acontecer no formato virtual pela plataforma do aplicativo Zoom, e terá transmissão pela rede social Facebook e pelo site da prefeitura de Mongaguá.

Presentes no encontro a presidente do CMS, Kelly de Lira Capato, a escriturária do CMS, Ailiram B. S. Alves da Silva; as Agentes Comunitárias de Saúde Betânia Barbosa e Cristiane R. A. Nogueira Canal; o jornalista do SISPUMI Alexandre de Oliveira e o diretor Secretário-Geral do SISPUMI, Aparecido Borges dos Santos.

 

 

новостной портал рынка недвижимости
Полотенца, Скатерти, Салфетки, Кухонные комплекты